31 de jan de 2009

O Supercook é o que pode se chamar de cozinha 2.0. Criado em 2005, pelo programador Assaf Rozenblatt, o site pede que você digite os ingredientes que você tem em sua casa - quanto mais opções, melhor - e automaticamente sugere receitas simples e práticas para se fazer com eles.

Além disso, o site divide os resultados em três categorias: entradas, pratos principais e sobremesas. É possível também acessar o arquivo que já possui 250 mil receitas, sendo que algumas, diga-se de passagem, soam bem inusitadas, tais como mousse de bis e biscoitos bêbados.

Você sabe o que é tegestologia?

É o nome que se dá, sabe lá Deus porquê, para coleção de bolachas de chope.

Ora, todo bebedor de cerveja que se preze, alguma vez na vida, já levou do bar para casa alguma bolacha de chope que achou bacana, com a intenção de guardá-la e, talvez, assim, começar sua própria coleção.

O carioca Marcio Ehrlich pode ser considerado um cara que realmente abraçou a causa. Ele junta milhares de bolachas de chope e cerveja do mundo todo desde os anos 70, e é associado a diversos grupos de colecionadores.

Das várias caixas de bolachas que possui, Ehrlich separou apenas as nacionais e criou o site Bolachas Brasileiras, que ostenta hoje um catálogo de mais de 800 biscoitos de cerca de 160 marcas.

O site possui também uma relação completa de cervejarias e fabricantes nacionais, com suas respectivas descrições.

Caso você tenha alguma bolacha diferente em casa, e queira colaborar com o projeto, basta enviar a imagem em alta resolução da frente e do verso para marcioehrlich@gmail.com

(referência: Brejas)

30 de jan de 2009

Mosquiteiro
por Paulo Moura

Outra seção que estréia hoje no moscabranca, junto com o novo projeto gráfico, é o Mosquiteiro, que também ficará a sua disposição para consultas. Basta clicar na imagem.

A idéia do Mosquiteiro é trazer para dentro desse blog 'moscas brancas' para comer e beber e, de preferência, sem gastar muito.

Semanalmente, você encontrará nessa seção dicas de bares e restaurantes escondidos ou ainda desconhecidos nessa 'paulicéia desvairada'.Conto com suas sugestões e comentários.
PRA COMEÇO DE CONVERSA... Quem frequenta restaurante por quilo sabe que frequentemente a conta não fecha. Você acaba misturando macarrão com feijão, coxinha com maionese, salada com purê de mandioquinha, além da indefectível combinação de molho rosé com queijo ralado por cima, e ainda paga 'uma bica'. Pensando no seu bem estar, caro leitor, seguem duas sugestões gordas e rápidas para comer bem durante a semana e gastar pouco.
Se estiver na região do Itaim Bibi, vale a pena dar uma passada na Kebaberia. Como o próprio nome diz, a casa é especializada no Kebab, sanduíche de carne assada enrolada no pão pita. O ambiente é bem aconchegante e há várias opções de condimentos e molhos disponíveis. O endereço é Rua Joaquim Floriano, 179.
Na região da Paulista, por sua vez, uma boa pedida é o Tollocos. A casa fica numa esquina da rua Augusta (número 1524) e se auto-denomina um fast-food mexicano. O destaque do cardápio são as várias opções de burrito. Para comer na mão e se lambuzar!
Ataque Libriano

por Fernando Targa


Alguém aí já assistiu “Alta Fidelidade”? O filme foi lançado em 2000 e conta a história de Rob Gordon em meio à sua falência e confusões amorosas, O cara faz uma lista de suas 5 grandes paixões e tenta amadurecer, revivendo cada uma delas.

Não sou louco como ele, mas tenho essa obsessão: fazer listas. Sei que é coisa de libriano, mas resolvi seguir outro preceito dos que são do horóscopo da balança, compartilhar o que é meu.

AS 5 MELHORES DE LIVERPOOL



Vou dar minha primeira palhetada com uma curiosidade sobre a maior lenda do rock n’ roll de todos os tempos. Tratar as mais de 200 canções dos Beatles como obras de arte é muito normal, mas apesar de concordar que a grande maioria das músicas dos “Fab Four” são intocáveis, a história da parceria Lennon & McCartney não é tão perfeita assim. Muitas dessas verdadeiras pérolas não são obras feitas a quatro mãos como se acreditava na época.

Em uma entrevista concedida ao jornal inglês Record Mirror em 1971, John Lennon revelou que grande parte das músicas não foi composta pela dupla e sim por ele ou por Paul. Algumas poucas composições são de autoria do introvertido George Harrison e em pouquíssimas vezes Ringo Starr teve suas criações gravadas oficialmente.

Tomei a liberdade de colocar as minhas preferidas de cada um deles e a mais perfeita inspiração da parceria, com as devidas referências):

A day in the life
Essa é da dupla; última faixa do sensacional álbum “Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band”

In my life
Considerada a melhor música de todos os tempos pela New Musical Express; faixa 11 do “Rubber Soul”

The long and winding road
Com arranjo orquestrado de George Martin, uma das preferidas do próprio beatle; faixa 10 do “Let it be”

Something
Essa é do George, compositor pouco valorizado na banda; segunda faixa do “Abbey Road”
Octopus’ Garden
Uma das poucas compostas por Ringo como baterista mais famoso do mundo; faixa 5 do mesmo “Abbey Road”
É com grande satisfação que anuncio a estréia da seção Ataque Libriano, escrita pelo amigo e agora colaborador fixo deste blog, Fernando Targa.

Acompanhe semanalmente a seção, cujo arquivo ficará a sua disposição para consultas sempre. Basta clicar na imagem ao lado.

No próximo post, o próprio apresenta a seção e dá a sua primeira palhetada!

Resenhas de livros normalmente são chatas e enfadonhas, mas talvez a Revista Bravo tenha encontrado uma solução para atrair o interesse de seus leitores por elas.

Na edição de janeiro, a revista publicou pela primeira vez uma resenha em formato de história em quadrinhos. A reportagem de quatro páginas sobre o novo livro de J.G Ballard, Império do Sol, é para se esbaldar, tamanha a originalidade e dinamismo que os grafismos deram ao texto.

Digna de aplausos.
Confira aqui.

Esta semana chegou às ruas de Chicago e São Francisco, nos Estados Unidos, o The Printed, jornal feito com conteúdo integral de blogs. Em formato tablóide e com tiragem de 2.600 cópias o veículo se assemelha aos demais periódicos do país. Cerca de 300 blogueiros serão os responsáveis pelo conteúdo editorial.

Segundo noticiou a agência EFE, os próprios distribuidores serão os responsáveis pela impressão do jornal. O The Printed terá custo margeado em US$ 0,25 para cada uma das quatro páginas, o que poderá ser facilmente coberto pelos anúncios publicitários.
Na primeira versão do tablóide, que pode ser baixada gratuitamente, cerca de 15 anunciantes aderiram ao projeto. A previsão é de que jornal ganhe as ruas de Nova York em duas semanas.

29 de jan de 2009


Em uma batalha entre as marcas Apple e Google, por exemplo, quem ganharia? Por enquanto, o Google, e com folga. Isso, pelo menos, é o que diz o Brand Tags, que se auto-intitula uma “experiência coletiva de percepção de marca”. Funciona assim: você acessa o site e é apresentado à duas marcas. Tudo que você precisa fazer é clicar naquela que você considera a marca mais forte.

Outro recurso interessante do site se dá quando você visualiza uma marca e é instigado a responder a pergunta: qual é a primeira coisa que vem a sua cabeça? É possível também navegar pelas marcas e conferir a tag cloud de cada uma delas.

A idéia do projeto, que acaba de ganhar uma versão brasileira, é consolidar colaborações de usuários do mundo todo para determinar quais as marcas mais poderosas do mercado, nos mais variados segmentos. Se você quiser, pode inserir gratuitamente a marca da sua empresa e saber o que as pessoas pensam dela.

Wall Street Journal e Advertising Age já publicaram reportagens elogiosas sobre o projeto capitaneado por Noah Brier. Confira abaixo o ranking atual das dez marcas que mais venceram as batalhas do Brand Tags:

1) Google (84.48%)
2) Pixar (84.39%)
3) Adidas (83.68%)
4) Apple (82.89%)
5) Lego (80.83%)
6) Coca-Cola (80.46%)
7) Nike (80.42%)
8) BMW (80.39%)
9) CNBC (80%)
10) Ferrari (79.54%)

28 de jan de 2009

No livro 'Poptogramas Brasilis', da editora Altamira, o designer Daniel Motta utiliza símbolos gráficos para representar 101 cantores e grupos musicais do país.

O moscabranca publica alguns aqui e lhe propõe o desafio de desvendá-los. As respostas certas serão divulgadas no final da semana.


(referência: Revista Bravo)
















27 de jan de 2009


Segundo post publicado recentemente no Update or Die, bolão em empresa virou ferramenta de gestão e ganhou o nome de mercado preditivo. As apostas são em torno de cenários futuros de negócios. Os apostadores são os funcionários que convivem com clientes e fornecedores, e que assim sentem o pulso do mercado. Em um mercado preditivo de uma empresa, não há paixões ou torcidas, e sim projeções –racionais e intuitivas. Os funcionários não apostam dinheiro –apenas dão suas ideias– e ganham prêmios da empresa se acertarem.
A motivação para a empresa é forte: saber o que pensam os colaboradores que interagem com o mercado sobre as chances de sucesso de, por exemplo, um produto novo. No entanto, não adianta o executivo querer ir perguntar para cada funcionário o que ele acha. Em geral, as apostas são feitas na internet, na intranet, no portal B2B da empresa ou por e-mail com resultados rastreados por planilhas.
Entre as empresas que fazem uso da ferramenta está o Google, que começou a usar mercados preditivos em abril de 2005, conforme artigo publicado na HSM Management. De lá para cá, o Google fez 275 perguntas diferentes usando essa ferramenta e obteve cerca de 80 mil respostas. Cerca de 25% de suas sondagens estiveram relacionadas com estimativas de demanda, como “Quantas pessoas vão usar o Gmail nos próximos três meses?”; 30% com o desempenho corporativo, como “Os prazos estipulados para tal projeto serão cumpridos?”; e 20% com assuntos de entretenimento, como “Quem vai ganhar o campeonato norte-americano de beisebol?”
Para quem quer descobrir se é um bom visionário, uma boa opção é o Portal Predictify, cujo slogan é 'Don't just read the news, predict it!'. Funciona assim: o site publica algumas notícias sobre esporte, cultura, política e economia. Você dá o seu palpite gratuitamente sobre o que poderá acontecer e o site mostra periodicamente o quanto sua previsão está próxima ou distante da evolução dos fatos. Você vai ganhando pontos de acordo com seus palpites certeiros e cria uma reputação para, em um nível mais avançado, ter a possibilidade de ganhar prêmios em dinheiro.
A Revista Superinteressante, da Editora Abril, fez uma parceria com o portal. Para conhecer e fazer suas previsões, acesse http://super.predictify.com/

A Spranq, uma agência de comunicação holandesa, estava procurando uma maneira de economizar no consumo de tinta para impressora, e resolveu, literalmente, pagar para obter uma solução. Depois de um longo período de pesquisas, chegaram a conclusão que uma fonte vazada era a resposta ideal.
Descobriram que reduzindo com ‘furos’ cerca de 20% da área da fonte, não haveria prejuízo à leitura quando impressa. Nasceu assim a Spranq Eco San, ou Ecofont, como ela será popularizada.

Baseada no Vera Sans (uma fonte open source), a grande sacada da Ecofont é que seus caracteres são vazados com pequenos furos que, na hora de imprimir, diminui a área de cobertura de tinta.

A Ecofont é compatível com PC e Mac e funciona bem com aplicativos como OpenOffice e MS Office 2007. Recomenda-se o uso de uma impressora laser para obter os melhores resultados.

Você pode fazer o download gratuitamente do ttf ou da fonte compactada neste endereço http://www.ecofont.eu/downloads_en.html
Dica da Rebeca Rocha.

26 de jan de 2009


Para divulgar o seriado americano '30 Rock', uma agência de publicidade estampou o rosto do protagonista, Alec Baldwin, em rolos de papel higiênico espalhados pelos banheiros da Holanda. Desde então, papel higiênico estampado virou moda em vários países do mundo. Por aqui, ainda não se tem notícias de estratégia de marketing semelhante. No entanto, já é possível encontrar também algumas estampas divertidas e inusitadas em lojas da cidade, como Alimport, Art Mix e Lojas Fujiyama.

Confira algumas opções:










Referência: Revista da Folha

A agência Waskman fez uma ação mosca branca para divulgar os serviços da operadora de telefonia Vodafone. Eles construíram um escritório suspenso todo de vidro no meio de uma rua de Madri. O objetivo é provar (e promover) a idéia que é possível trabalhar, e consequentemente se comunicar de qualquer lugar, mesmo dentro de um aquário gigante.

Acessando o endereço www.reinventamoselfijo.com é possível acompanhar os funcionários da agência trabalhando em tempo real durante todo o mês de janeiro.

A ação também é composta por um veículo que circula pelas ruas equipado com as soluções de mobilidade da Vodafone.

Dica da amiga e colega de trabalho, Fernanda Arantes.



Ninguém gosta de esperar páginas em flash enquanto elas estão carregando. Por essa razão, os desenvolvedores fazem o possível para tornar os sites mais atraentes, mesmo durante o carregamento.
O site Pretty Loaded reúne os melhores e mais criativos ‘carregamentos de páginas’ de filmes, games, bebidas, etc.

Acesse e divirta-se.
(Dica do Comunicadores)

24 de jan de 2009


Eles treinam em um terreno de 240 mil metros quadrados cercados pela mata atlântica. Dispõem de alojamentos confortáveis, sala de musculação, refeitórios, espaço específico para fisioterapia, seis vestiários, piscina externa para treino e lazer, salão de jogos e estacionamento para 500 carros. Acabaram de inaugurar um estádio próprio com capacidade para 11 mil pessoas, chamado Los Larios. Eis a estrutura do caçula do campeonato carioca de futebol, que estréia hoje contra o Duque de Caxias, no Estádio Marrentão.

O Tigres do Brasil, fundado pelo nicaraguense Miguel Larios em 2004, inspirado no time mexicano homônimo, planeja este ano ainda abrir mais três campos, um ginásio poliesportivo, um museu do futebol, um heliporto e um hotel cinco estrelas com 48 apartamentos para abrigar delegações de outras regiões do Brasil e até do exterior para intercâmbio.

Diante de tudo de ruim que os times de futebol do Rio têm apresentado nos últimos anos, pode estar surgindo uma mosca branca aí. Tomara!

23 de jan de 2009

Quando o assunto é moda, inovação também não falta...

Para começar o ano, nada melhor do que a camiseta-calendário

Sapatos em formato de fusca

O tênis band-aid
Bolsa descolada
(via Popgadget)

Para sair cantando na chuva
(via Wishlist)

Casaquinho meigo
(via Boing Boing)

Para quem gosta de sair por aí e não quer correr o risco de não ter lugar para sentar
(via CoolHunting)


O cinto de cintos


Um discreto sapatinho 'masculino' para incrementar a indumentária...

E, para finalizar, a última palavra em porta-celular

Quando se imagina como será a casa do futuro, a maioria se atém à tecnologia que poderá interligar eletrodomésticos, acionar dispositivos remotamente ou adaptar o ambiente a cada situação. Além dos bites e bytes, porém, mosca branca é o que não falta quando de trata de design de produtos e interiores. Seguem algumas preciosidades encontradas em blogs especializados no assunto que você pode ter hoje mesmo no seu cafofo:

Se você é daqueles que gosta de comer no sofá ou na cama...
(via CraziestGadgets)


Que tal reviver os anos 80 com um abajur-Atari?
(via Geekologie)



Um simples armário...

que vira cozinha

Nas cadeiras Origami, você senta com estilo

Como você imagina um jantar à luz de velas?



Se você ainda tem aquele tapetinho de banheiro de borracha com os dois pezinhos, que tal mudar para este


Finalmente, uma opção para quem curte ficar sozinho!

22 de jan de 2009



Não se assuste se ao visitar a capital da Coréia do Sul, Seul, esbarrar em casais vestidos iguais, trajando roupas muito parecidas ou com pelo menos um acessório semelhante... Ele são praticantes de uma tendência que vem ganhando fôlego na Ásia e foi denominada por aqui de Couplelook.

De trajes completamente iguais, a tendência evoluiu para semelhanças sutis, como o mesmo modelo de óculos escuros, jaquetas com a mesma estampa ou pares de tênis da mesma cor.

A brincadeira consiste justamente em descobrir o que um tem que o outro também tem. O objetivo, obviamente, é chamar atenção. Alguns, como você pôde reparar na figura acima, se expõem mais do que os outros.




(referência: PSFK)
O Departamento de Defesa americano tem um programa chamado Small Business Innovation Research, cuja proposta é investir uma verba anual de US$ 2,3 bilhões em projetos inovadores. Uma das últimas 'grandes idéias' foi abrir uma licitação para o desenvolvimento de uma solução de inteligência artificial com o propósito de atender crianças cujos pais estão envolvidos em conflitos e guerras mundo afora e não podem ligar, enviar um e-mail ou acionar uma webcam para se comunicar. Companhias interessadas em participar do projeto têm até o final deste mês para apresentar suas propostas.

A idéia inicial é que a imagem do papai ou da mamãe seja reconstituída na tela do computador e que possa ser acessada a qualquer hora do dia por uma criança, sem a necessidade da ajuda de um adulto. Um aplicativo de reconhecimento de voz permitiria a simulação de conversas do dia a dia, fazendo uso de um verdadeiro arsenal de respostas pré-programadas para cada situação, formuladas por psicólogos.

Estima-se que 80% das crianças americanas com idade entre 3 e 5 anos utilizam computadores regularmente, o que permite ao Pentágono concluir que é uma iniciativa promissora. Sem contar que, hipoteticamente, soldados teriam um desempenho mais eficiente nos conflitos em que estão envolvidos com a certeza de que seus filhos estão bem e tranquilos em casa.

Duro vai ser quando Joãozinho ou Mariazinha, ou melhor, Johnny e Mary, ficarem mais velhos e descobrirem que aquelas mensagens de amor, troca de confidências e declarações de afeto que recebiam quando eram crianças eram, na verdade, obra de robôs.

(referência: Time Magazine)

21 de jan de 2009


É a hora e a vez das titias. Prova disso é o sucesso do Savvy Auntie, a primeira comunidade dedicada ao que nos Estados Unidos convencionou-se chamar de PANK - Professional Aunts no Kids. São mulheres (casadas ou solteiras), sem filhos e com dinheiro para gastar com a prole dos outros.

De acordo com uma reportagem do The Washington Post, 50% das norte-americanas com até 44 anos de idade não têm filhos. Como se sabe que as mães americanas gastam, em média, US$ 1,7 trilhão com produtos de consumo, as PANKS certamente são um nicho em franca expansão e com enorme potencial para as empresas.

De acordo com Melanie Notkin, fundadora do Savvy Auntie, as PANKS decidem suas compras diferentemente das mães. Elas têm mais tempo para escolher e quase não se preocupam com o preço. Além disso, são a elas que as mães recorrem quando moram longe dos avós e não têm com quem deixar as crianças.

A idéia do Savvy Auntie é ser um espaço para mulheres 'loucas' por seus sobrinhos, sobrinhas, filhos de amigos, e afins, falarem sobre eles, conhecerem mais a respeito e trocarem suas experiências. Lá, elas podem ter um blog personalizado, inscrever seus profiles em comunidades com pessoas que tenham as mesmas características, ter acesso a guias personalizados de presentes e passeios, entre outras dezenas de serviços disponíveis gratuitamente.

Sem dúvida alguma, uma grande idéia.

A equatoriana Alexandra Castro ganha a vida há mais de 18 anos vendendo frutas em uma barraca na cidade de Guaiaquil. Começou ajudando os pais e hoje sustenta três filhos. Em 2006, a feirante deu um passo importante em seu negócio. Tomou um empréstimo de 925 dólares e, com o dinheiro, passou a comprar mercadorias no atacado, a preços mais baixos. Com a operação, aumentou a margem de lucro. Depois do impulso inicial, foi possível dar outro passo. Hoje, além de vender frutas, Alexandra as distribui a outros comerciantes. O pequeno financiamento que melhorou seus negócios não veio de uma instituição bancária tradicional, onde os mecanismos para a concessão de crédito são repletos de filtros. Alexandra cadastrou-se no Kiva, o primeiro site de relacionamentos a possibilitar que empreendedores de baixa renda encontrem pessoas ao redor do mundo que estejam dispostas a ajudá-los on-line, sem intermediários.

Conhecido por muitos como o Orkut da filantropia, em apenas três anos de existência, o Kiva virou sucesso mundial. Suas operações já movimentaram 30 milhões de dólares e chegaram a quase quarenta países. Tudo com o uso de apenas duas ferramentas: um computador e um cartão de crédito.

A rede de empréstimos foi criada pelo casal Matt e Jessica Flannery, dois jovens californianos. A idéia surgiu após uma viagem de Jessica à África, onde coordenou uma pesquisa sobre o impacto de doações módicas utilizadas por pessoas para abrir ou ampliar pequenos negócios. O Kiva, uma palavra que em Swahili significa ‘acordo’ ou ‘unidade’, funciona da seguinte forma: no site, você encontrará variados pedidos de empréstimo na página “Business IN NEED”. O candidato ao empréstimo apresenta-se com o nome, foto, quantia total de que necessita e explica como irá utilizar o dinheiro do empréstimo. Se quiser emprestar dinheiro e assim patrocinar o projeto de um (ou mais) candidato, você poderá transferi-lo por meio do PayPal (no mínimo US$ 25) e o KIVA se encarregará de entregar a totalidade dessa quantia ao empreendedor. Periodicamente, você poderá ter notícias da evolução do projeto do seu patrocinado no próprio site do Kiva ou diretamente na sua caixa de correio. Logo que o empreendedor pague o empréstimo de volta dentro de um período fixado (geralmente entre 6 a 12 meses), o dinheiro ficará novamente disponível e você poderá alocá-lo em um novo empréstimo ou simplesmente devolvê-lo a sua conta bancária.

Uma das principais razões de sucesso do Kiva é o alto grau de confiabilidade e transparência das operações. Para garantir a segurança do empréstimo, o site mantém parcerias com instituições locais de microcrédito que atuam em cada um dos 39 países atendidos atualmente – não há, por enquanto, entidades cadastradas no Brasil. Cabe a esses parceiros selecionar empresários idôneos e produzir relatórios periódicos sobre o andamento do negócio financiado, permitindo ao credor acompanhar pela Internet todo o processo. A seriedade do Kiva é reforçada pelo fato de que as próprias entidades parceiras são avaliadas no site – as estrelinhas que, no Orkut, servem para indicar a popularidade do internauta, no site sinalizam o grau de confiabilidade da instituição, de acordo com seu tempo de associada, quanto dinheiro administra e a taxa de inadimplência das pessoas que atende (a média geral é de apenas 0,2%).

E como o Kiva se sustenta? Além de receber doações, seus criadores encontraram outra solução: embora os tomadores do empréstimo devolvam o dinheiro em parcelas mensais, os financiadores ao redor do mundo só recebem o dinheiro de volta quando toda a dívida for amortizada – em média, no prazo de um ano. Durante esse período, os recursos ficam em uma conta remunerada e os rendimentos são usados para bancar as operações do site.
(Referência: CoolTools)
Os amantes da música devem conhecer o scat singing. Criado nos anos 20 pelo mestre do jazz Louis Armstrong, o scat nada mais é do que a habilidade de improvisar com sílabas sem sentido. É como se a voz do cantor de tornasse um instrumento de ritmo e melodia, emitindo notas musicais, sem pronunciar nenhuma frase. Desde sua invenção, a técnica é adotada por artistas de todo o mundo. De Paul McCartney a Ed Motta. De Elza Soares a Ella Fitzgerald, considerada a rainha do gênero.

Inspirada nesse tipo de brincadeira vocal, a empresa D'Accord, do Recife, desenvolveu um jogo para download. A idéia é simples: o jogador produz com a própria voz sons que substituem a bateria de uma música em MP3. Batizado de VJ Night, o produto será vendido pela Internet para mais de 80 países e deverá ter versões para os videogames Wii e Xbox.

A invenção rendeu a Américo Amorim, 27 anos, sócio da empresa, o convite para concorrer no final do ano passado ao prêmio Jovem Empreendedor do Ano, promovido pelo British Council.

(via PEGN)