30 de jan de 2009

Ataque Libriano

por Fernando Targa


Alguém aí já assistiu “Alta Fidelidade”? O filme foi lançado em 2000 e conta a história de Rob Gordon em meio à sua falência e confusões amorosas, O cara faz uma lista de suas 5 grandes paixões e tenta amadurecer, revivendo cada uma delas.

Não sou louco como ele, mas tenho essa obsessão: fazer listas. Sei que é coisa de libriano, mas resolvi seguir outro preceito dos que são do horóscopo da balança, compartilhar o que é meu.

AS 5 MELHORES DE LIVERPOOL



Vou dar minha primeira palhetada com uma curiosidade sobre a maior lenda do rock n’ roll de todos os tempos. Tratar as mais de 200 canções dos Beatles como obras de arte é muito normal, mas apesar de concordar que a grande maioria das músicas dos “Fab Four” são intocáveis, a história da parceria Lennon & McCartney não é tão perfeita assim. Muitas dessas verdadeiras pérolas não são obras feitas a quatro mãos como se acreditava na época.

Em uma entrevista concedida ao jornal inglês Record Mirror em 1971, John Lennon revelou que grande parte das músicas não foi composta pela dupla e sim por ele ou por Paul. Algumas poucas composições são de autoria do introvertido George Harrison e em pouquíssimas vezes Ringo Starr teve suas criações gravadas oficialmente.

Tomei a liberdade de colocar as minhas preferidas de cada um deles e a mais perfeita inspiração da parceria, com as devidas referências):

A day in the life
Essa é da dupla; última faixa do sensacional álbum “Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band”

In my life
Considerada a melhor música de todos os tempos pela New Musical Express; faixa 11 do “Rubber Soul”

The long and winding road
Com arranjo orquestrado de George Martin, uma das preferidas do próprio beatle; faixa 10 do “Let it be”

Something
Essa é do George, compositor pouco valorizado na banda; segunda faixa do “Abbey Road”
Octopus’ Garden
Uma das poucas compostas por Ringo como baterista mais famoso do mundo; faixa 5 do mesmo “Abbey Road”

Nenhum comentário:

Postar um comentário