28 de fev de 2013

Seria o folhetim a solução para não ter que ficar comprando livro que você corre o risco de parar de ler na metade?


Depois de fazer fama com romances tradicionais, entre eles o premiado Abril Vermelho, o escritor peruano radicado na Espanha Santiago Roncagliolo acaba de restaurar um formato de literatura bastante comum no século XIX e que pode, paradoxalmente, ser um sopro de inovação nessa era em que ninguém tem tempo para nada: o folhetim. 


Sua nova obra, Oscar y las mujeres, é um ficção dividida em nove fascículos, que estão sendo vendidos a 0,99 euro cada e que, finda a edição seriada digital, ganhará um volume em papel. A história é protagonizada por um autor de telenovelas que, depois de ser deixado pela mulher, vê-se em frente a um bloqueio criativo.

“A vantagem para o leitor é que ele paga de acordo com o que lê. Se a história não o prende mais, poderá saber uns 20 euros antes que se tivesse gastado com a edição em papel. Cabe aos escritores, do outro lado, trabalhar para seduzir o leitor a cada página, o que, no fim, não será ruim para a qualidade do texto”.

Como eu sou um daqueles que deixa muito livro pela metade, achei a ideia bastante interessante. E você?

Referência: Galileu

Nenhum comentário:

Postar um comentário