24 de set de 2012

Onde os enterros terminam em festa

Morille é uma cidadezinha espanhola localizada na província de Salamanca que não chega a ter 300 habitantes. Sua fama, contudo, vem se difundindo rapidamente, graças a um cemitério! Esse, contudo, não é um cemitério comum. Lá, os enterros (quase sempre) terminam em festa.


Desde 2005, um terreno de 50 mil metros quadrados localizado atrás da paróquia local, foi cedido pela Prefeitura para que se enterrassem obras de “reconhecido valor artístico” ou vinculadas “de modo significativo” ao mundo da arte.


O Cementerio de Arte, desde então, já foi palco de mais de trinta sepultamentos. Jazem ali uma mala de viagem, um piano, um par de sapatos, livros de poesia, esculturas, filmes e até mesmo uma Pontiac que pertenceu ao artista Javier Utray.

 

Recentemente, Vicente del Bosque, técnico da seleção nacional de futebol, enterrou lá uma bola Jabulani e uma camisa da “Fúria”, ambas usadas na final da Copa do Mundo da África do Sul, vencida pela primeira vez pelos espanhóis.




Há ainda uma longa fila de espera de artistas que ambicionam enterrar ali suas criações. As propostas de sepultamento são avaliadas por uma comissão formada por representantes da prefeitura, dos moradores e da classe artística.


(Referência: Piauí)

Nenhum comentário:

Postar um comentário