25 de abr de 2012

As tristes crianças de papelão

Refugiado de guerra aos 10 anos, obrigado a viver como órfão por três, o iraniano Ali Golzad conhece 'intimamente' o potencial devastador de uma guerra.


Ele foi e é o exemplo de um cenário que hoje tem proporções devastadoras: estima-se que 20 milhões de crianças são diretamente afetadas por conflitos armados ou violações de direitos humanos ao redor do mundo. 



Golzad faz uso exclusivamente de papelão e tinta para dar corpo à série intitulada "Invisible People", cuja inspiração é justamente denunciar o absurdo das guerras. O objetivo maior é chamar atenção para aqueles que acabam sendo os mais afetados por elas: as crianças.




Os contornos dos frágeis rostos e as expressões endurecidas são impressionantes e... alarmantes!


Nenhum comentário:

Postar um comentário