29 de jun de 2011

Um sapo com seu nome... Interessa?

Com um lance mínimo de R$ 7 mil, uma espécie de sapo recém-descoberta na Ilha de Madagáscar, na África — e provisoriamente apelidada de Boophis sand — pode ganhar um nome científico que homenageie alguém ou algo de que você goste. Assim foi com a Moraea vuvuzela, planta sul-africana descoberta em 2003 e catalogada ano passado com um nome em homenagem à infame corneta da Copa 2010.


O direito de batismo foi comprado das mãos da organização não-governamental alemã Biopat, que está à frente de um curioso mercado: comércio de nomes científicos de espécies de plantas e animais recém-descobertas. A ONG funciona como um grande catálogo e todo o dinheiro arrecadado é revertido para pesquisas. Cientistas e pesquisadores, ao descobrirem uma nova espécie, detalham as características do ser vivo no site biopat.de e interessados pagam para ter o direito de escolha do nome.


As espécies mais procuradas são as borboletas e orquídeas, que custam até R$ 16 mil. O menor preço disponível, R$ 6 mil, compra o batismo de uma barata descoberta ano passado na África. Atenção, porém, ao fazer a compra, pois o cliente precisa explicar quem é o homenageado. “Não se pode colocar o nome da sogra em uma espécie de aranha, por exemplo”, diz Claus Baetke, da Biopat.

Em 11 anos, a Biopat teve 131 batismos patrocinados, mas o mercado é promissor. Estima-se que apenas um décimo de todas as espécies do planeta, 1,8 milhão de bichos e plantas, tenham sido catalogadas. 

Com um lance mínimo de R$ 7 mil, uma espécie de sapo recém-descoberta na
Ilha de Madagáscar, na África — e provisoriamente apelidada de Boophis
sand — pode ganhar um nome científico que homenageie alguém ou algo de
que você goste. Assim foi com a Moraea vuvuzela, planta sul-africana
descoberta em 2003 e catalogada ano passado com um nome em homenagem à
infame corneta da Copa 2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário