7 de out de 2010

Jogando por um Mundo Melhor

Jane McGonigal, uma designer de jogos de realidade alternativa (ARG), apontada pela MIT Technology Review como um dos top 35 jovens inovadores em tecnologia, acredita que um game pode, de fato, tornar o mundo um lugar melhor. Esse foi o estímulo que lhe permitiu desenvolver o Breakthroughs to Cures, um jogo de geração de idéias online projetado para mudar a nossa forma de pensar a pesquisa médica. 


O jogo parte de um cenário hipotético futuro:  uma contaminação generalizada provocou uma doença neurológica que pode infectar mais de 100 milhões de pessoas. Líderes do governo americano convocam um painel para investigar formas de acelerar o ritmo das investigações e a descoberta de tratamentos ou mesmo a cura para a doença antes que ela se dissemine.
 

Durante um período de 24 horas, os jogadores deverão contribuir com uma ideia - em 140 caracteres ou menos, naturalmente - para resolver o problema. McGonigal espera que essa plataforma ajude a refletir sobre novas maneiras de alterar a pesquisa médica acadêmica e desenvolvimento de medicamentos.


"O jogo é a ferramenta perfeita para ajudar a promover o tipo de pensamento não convencional e que é necessário para criar mudanças radicais na área da saúde e acelerar a velocidade com que os tratamentos são entregues", afirma Nancy Barrand, da Robert Wood Johnson Foundation’s Pioneer Portfolio, que financiou o projeto de McGonigal.

A julgar pelos seus trabalhos anteriores, Cruel 2 Be Kind, game onde os jogadores deviam "atacar" outras pessoas com atos gentis, e World Without Oil, game que instigava os internautas a pensarem em alternativas para a atual sociedade dependente do petróleo, que acumulou mais de dois milhões de jogadores de 15 países, desde a sua criação em 2007, a nova iniciativa de McGonigal é promissora. 



Vale, enfim, assistir acima o vídeo de sua apresentação no TED no início desde ano e, abaixo, o vídeo de lançamento de Breakthroughs to Cures.





Nenhum comentário:

Postar um comentário