16 de jan de 2009

Delirium Tremens é uma forma de perturbação mental passível de ocorrer em alcoólatras e em viciados em ópio, e é caracterizada por tremores, suores, dor precordial, agitação e alucinações terrificantes. Nada mais indicado, portanto, que seja o nome de um café em Bruxelas que, segundo o Guiness, tem a mais completa carta de cervejas do mundo. Num porão construído no século 18, é possível experimentar cerca de 2 mil rótulos, 900 dos quais produzidos na própria Bélgica. As outras vêm de todos os cantos do mundo – até dos mais estranhos, como Angola, Mongólia ou Laos. E ainda tem 28 tipos de queijo para rebater. A cerveja da casa leva seu nome, tem 9% de álcool e um simpático elefante cor-de-rosa no rótulo. Trata-se de uma strong golden ale que ganhou em 1998 o título de melhor do mundo.

Por aqui, o Frangó continua sendo o olimpo dos cervejeiros. Hospedado há mais de 20 anos num casarão do século XIX na Freguesia do Ó, o bar dispõe de 250 rótulos de cerveja, entre nacionais e importadas. Para quem se inicia na arte de degustar, não há perigo de ficar perdido nessa miríade de opções. A carta elenca vários menus fechados de degustação, como a “Seleção Trapista” (um “rodízio” de 6 rótulos do porte de Chimay, Rochefort e outras, a R$ 215,00) e a inacreditável "Seleção Vertical Cuvèe Van de Keiser”, em que o degustador mais experiente pode provar seis safras diferentes da célebre belga, começando com a de 2000 até a de 2006 (R$ 922,00). Para acompanhar, não deixe de provar a famosa coxinha de frango com catupiry.

Outras boas opções para os cervejeiros são o Asterix, localizado na região da Paulista, com uma carta de 150 rótulos; o Anhanguera e o Melograno, na Vila Madalena, cujas especialidades são as cervejas artesanais, como a Therezópolis, a mineira Bauhaus, a família Eisenbahn e a La Brunette; o Bezerra, localizado em um aconchegante sobrado na Lapa; e o pub Drake's, na região de Pinheiros. Nesses lugares você poderá encontrar a consagrada Deus, cerveja belga maturada na região de Champagne, na França, que virou moda por aqui no final do ano passado; inglesas poderosas como a Newcastle e a Honey Dew; e a premiadíssima tcheca Czechvar, entre outras.

Saindo de São Paulo, boas opções são o Herr Brauer, localizado no bairro no Flamengo, no Rio de Janeiro, que possui mais de 80 rótulos; e o Haus München, em Belo Horizonte, que além da extensa carta, dispõe de algumas preciosidades como aquela que é considerada a cerveja mais forte do mundo, a Samuel Adams Utopias, fabricada pela Boston Beer Company. A dita cuja vem em uma garrafa de cerâmica, cujo acabamento de lustre leva 3% de ouro, possui 27% de teor alcoólico e custa a bagatela de US$ 400 - é a segunda mais cara do mundo, perdendo apenas para a Vielle Bon Secours, que custa US$ 1000 e só pode ser encontrada em um bar londrino chamado Bierdrome.

(referência: Brejas )

Nenhum comentário:

Postar um comentário