16 de jan de 2009

Kamikaze (de kami significando "deus" e kaze, "vento") é uma palavra japonesa que designa o nome de um tufão que se diz ter salvo o Japão em 1281 de ser invadido por uma frota líderada por Kublai Khan, conquistador do Império Mongol. Em japonês, portanto, o termo "kamikaze" é usado para se referir a este tufão e, neste caso, pode ser traduzido como: "Vento de Deus em prol do Japão". Na língua inglesa, contudo, refere-se habitualmente a um ataque suicida feito pelos pilotos japoneses que combateram na Segunda Guerra Mundial. Os pilotos japoneses arremessavam seus aviões contra os navios inimigos com a intenção de causar um dano maior que um ataque convencional com bomba ou torpedos. Estima-se que cerca de 2.525 pilotos morreram em ataques kamikaze, causando a morte de 4.900 soldados aliados e deixando mais de 4 mil feridos.

O termo vem sendo utilizando atualmente para definir os praticante do Air Race, considerado o esporte mais mortal que já existiu. O esporte existe de maneira amadora desde o começo do século XX. Naquela época, os pilotos competiam em biplanos (aviões com dois pares de asas) de madeira. A partir de 1933, os biplanos deram lugar a monoplanos e a madeira foi substituída por aço; hoje, a maioria dos aviões da Air Race, que podem custar mais de US$ 300 mil, são feitos de fibra de carbono.

Na Red Bull Air Race World Series, o principal torneio da modalidade, os pilotos desviam de obstáculos correndo contra o tempo. A competição acontece de abril a novembro em dez circuitos fechados localizados em várias partes do mundo - a competição passou pelo Rio de Janeiro em 2007. A distância do percurso é de 5 a 7 quilômetros e é demarcada por pares de cones (feitos de material fino, parecido com velas de barcos, eles são projetados para se desfazerem caso sejam atingidos, mas uma colisão pode destabilizar o avião). Os pilotos devem passar pelos cones com exatos 90 ou 180 graus de inclinação e finalizar o percurso em menos de um minuto. O prêmio? Sair ileso. A Red Bull dá apenas uma ajuda de custos para o transporte dos aviões.

A competição deve voltar a acontecer no Rio de Janeiro este ano.

Confira algumas imagens impressionantes:


Um comentário: