28 de ago de 2013

Os 6 hotéis mais hightech do planeta

Recepções robotizadas, secadores de unha embutidos nas paredes dos quartos, frigobar abastecido com apenas um tuíte, sensores infravermelhos que dizem à copeira se você está ou não no quarto, banheiros inteligentes, enfim, uma gama de hotéis está tirando proveito de gadgets, de redes sociais e toda a espécie de apetrechos para fazer da nossa experiência de hospedagem algo de última geração. Confira uma lista pra lá de mosca branca:


Não bastasse ter sido todo projetado pelo incomparável Philippe Starck, o Mama Shelter de Paris capricha também no quesito tecnológico. A cada andar, na saída do elevador, uma imensa tela de LED serve como quadro de avisos para apontar informações importantes, como a previsão do tempo para o dia e as opções de onde sair naquela noite.



Cada um dos 172 quartos do hotel é equipado de um iMac com um aplicativo feito exclusivamente pela Apple. O aplicativo permite que você veja a lista de lançamentos de filmes (que são gratuitos), escute música, acesse a internet e tire fotos de você mesmo.


Esta opção, inclusive, permite que você  compartilhe as imagens nos outros monitores espalhados pelo hotel.


Os quartos no The Peninsula Tokyo são impressionantes, mesmo para o tão-tecnologicamente avançado Japão. Cada quarto possui telefone sem fio equipado com tecnologia VoIP (Skype), que pode ser usado em todas as áreas do hotel. O nível de personalização, por sua vez, chega a níveis extremos como uma rádio que transmite as frequências da cidade natal do visitante.


 
Localizado praticamente junto aos fossos e jardins do antigo castelo de Edo, o Peninsula oferece 267 quartos e 47 suítes decoradas com muito couro e madeira. Entre os recursos mais curiosos e inusitados estão o secador de unhas automático embutido na parede do quarto e os banheiros que dispõem de um botão Spa na banheira que escurece o ambiente, liga um som relaxante e define o modo privacidade para telefone e campainha, garantindo o relaxamento sem interrupções. 



Não fica por aí: há ainda uma televisão de LED instalada, espelhos antiembaçantes e telefones equipados com funções que abafam o som da TV ou do rádio e filtram o barulho da água corrente e o eco do banheiro durante as chamadas.


O hóspede do Ushuaïa Beach Hotel, na badalada ilha espanhola de Ibiza, precisa apenas dar o número do cartão de crédito, cadastrar suas impressões digitais e pronto: todos os pagamentos serão feitos com um toque. Além disso, por vários ambientes do hotel ( principalmente na área da piscina, em frente à praia) foram espalhados totens com Facebook Presence. Basta aproximar sua pulseira de identificação para acessar seu perfil, tirar fotos e postar a boa vida em Ibiza. 



Ah, e como um charme a mais, o hotel de Ibiza conta com uma Suíte Pioneer, com o que há de mais moderno em equipamentos de som.


Sente o drama: dois CDJ 2000 players, um DJM 2000 mixer, um amplifier, oito speakers e dois subwoofers.


O SolWaveHouse, em Mallorca, na Espanha, foi todo construído com o Twitter em mente. O local, que tem 184 apartamentos com vista para o mar, oferece o tradicional serviço de quarto, mas não seria melhor apenas tuitar #fillmyfridge para ter seu frigobar reabastecido?



Cada hóspede tem a sua própria conta no Twitter para que  possa interagir via WI-FI em qualquer lugar dos 2640 m2 do empreendimento com seus eventuais vizinhos, inclusive nas tendas à beira mar. Fechando a semana, o hotel organiza Twitter Parties, cuja marca é a hashtag #sociawave.


Localizado em uma das avenidas mais badaladas do planeta, a Strip, em Las Vegas, o Aria, que hospeda atualmente a  temporada Viva Elvis do Cirque du Soleil,  utiliza identificação por radiofrequência (RFID) em todos os quartos.



Ao girar a chave e ingressar em seu quarto, o hóspede tem tudo ajustado para suas preferências pré-determinadas, desde a luminosidade ideal para o horário, até mesmo a sintonização automática da TV no seu programa preferido. O mesmo mecanismo é usado nos elevadores, no fitness center e na garagem do hotel .


Com impressionantes 61 andares, 4.004 quartos, 16 restaurantes e um dos cassinos mais badalados de Las Vegas, o hotel abriga ainda o night club Haze, onde a pista de dança principal é integrada a um telão interativo de mais de 30 metros de diâmetro.


O hotel Blow up Hall 5050 se define como uma obra de arte interativa, onde os hóspedes são parte da criação. São apenas 22 apartamentos em uma mistura de luxo, design, arte e tecnologia de ponta. O nome do hotel foi inspirado no filme de Michelangelo Antonioni, Blow Up, e as surpresas começam logo na chegada do empreendimento, situado em Poznan, na Polônia. Assim que entra, o turista se torna parte de uma instalação de vídeo do artista Rafael Lozano-Hemmer.


Não existem recepção, chaves convencionais de quartos, nem mesmo cartões magnéticos para abrir as portas. É tudo feito via iPhone, que o hóspede recebe assim que chega. Também não existem números nas portas, já que elas estão equipadas com sensores de reconhecimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário