25 de jul de 2013

Cinco histórias inspiradoras de crianças que inventaram grandes negócios

Crianças são naturalmente criativas e inventivas - e algumas até mesmo podem acabar sendo responsáveis por grandes oportunidades de negócios. Confira abaixo cinco histórias inspiradoras que atestam o que uma boa dose de curiosidade, imaginação e desprendimento podem ser capazes de fazer.

Makin' Bacon Dish


Abbey Fleck tinha apenas oito anos quando a inspiração bateu. Ela e seu pai tinham acabado de cozinhar bacon, quando descobriram que não havia toalhas de papel em casa para absorver a gordura. Para desgosto da mãe de Fleck, a dupla improvisou e usou a seção de classificados de um jornal no lugar. De repente, Fleck teve um estalo: "Por quê não pendurar o bacon para cima enquanto ele cozinha? Isso tornaria as toalhas de papel desnecessárias".

Em 1993, a dupla patenteou um prato para microondas com três barras verticais para pendurar o bacon. Um ano depois fecharam um acordo de distribuição com a Walmart e hoje faturam algo em torno de US$ 1 milhão em royalties por ano.

Water Talkie


Aos 11 anos, Richie Stachowski partiu para uma viagem para o Havaí com a sua família. "Eu estava surfando com meu pai, até que mergulhei e vi várias coisas bonitas submersas. Queria poder compartilhar minhas impressões debaixo d'água, mas não podia". Depois de descobrir que não havia invenções para esse tipo de comunicação sub-aquática, Stachowski começou a pesquisar acústica submarina e experimentar protótipos na piscina da família. Foi então que surgiu o Water Talkie, um dispositivo cônico com uma válvula e membrana de plástico que permite que os nadadores falem um com o outro a uma profundidade de até 15 pés.

Pouco tempo depois, Stachowski foi para Nova Jersey e apresentou sua idéia no evento Toys "R" Us, de onde saiu com um pedido de compra de 50 mil unidades.


Com a ajuda de sua mãe, Stachowski abriu uma empresa chamada Short Stack LLC que, em 1999, foi vendida para a Wild Planet Toys.

Wristies


Kathryn Gregory tinha dez anos quando foi brincar na neve e sentiu seus pulsos começarem a doer por causa do frio. Determinada a encontrar uma maneira de manter as mãos e os antebraços quentes e secos durante o inverno, ela inventou o Wristies - "mangas" fuzzy, que podem ser usadas ​​sob casacos e luvas. Depois de testá-las, apareceu na rede QVC para promover seu produto. Foi a pessoa mais jovem a vender um produto na rede.

Em 2010, 16 anos depois de inventar o Wristies, Kathryn voltou para os negócios e agora é CEO da Wristies, Inc.

ManCans


Hart Main já não aguentava mais o cheiro doce das velas que sua irmã espalhava pela casa. O garoto, então com 13 anos, juntou três mil latas de sopa doadas e US$ 100 que ganhou trabalhando com entrega de jornais em Ohio, onde morava, e criou a ManCan, uma empresa de velas para homens.

Para as velas masculinas, ele adicionou perfumes que não lembram nem de longe a coleção de sua irmã. O pequeno empreendedor criou essências de churrasco, grama fresca, bacon, café, cachimbo, serragem, fogueira e pizza, entre outros.

As velas estão à venda e custam em média US$ 9,50 e podem ser encontradas na loja online, ou em 24 pontos nos Estados Unidos.

Crayon Holders


Aos 11 anos, Cassidy Goldstein vivenciou um problema que vinha atormentando crianças por gerações: seus lápis de desenho crayon acabavam se quebrando com o uso e as peças ficavam pequenas demais para segurar. Ela se deparou então com um tubo de plástico projetado para manter rosas frescas durante o transporte e teve a ideia de criar um protótipo com o mesmo material, porém voltado para suas necessidades com a pintura.

Em 2002, ela registrou uma patente e logo fechou um acordo de licenciamento com a Rand Internacional, que garantiu a ela 5% dos royalties por venda. Sua invenção veio a ser ainda uma grande aliada para ajudar crianças com dificuldades motoras.

Um comentário:

  1. Muito legal! Acredito que por trás dessas crianças criativas existem pais estimulem a experimentação.

    ResponderExcluir