30 de out de 2012

Daniel Melim e a subversão dos clichês

Desde meados de julho, quem passa pela Avenida Prestes Maia, em São Paulo, se depara com um impressionante mural de 33 metros de altura na fachada de um prédio antigo, parte da degradada região da Luz. O trabalho feito com estêncil pelo artista Daniel Melim tem forte influência da pop art de Roy Lichtenstein e é referência daquilo que podemos chamar de subversão dos clichês.


Toda a publicidade plastificada em torno do american way of life sempre marcaram a obra de Melim. Os estênceis de rostos de homens e mulheres sorridentes até parecem sinalizar uma vida perfeita, porém vêm ácidos em sua crítica.



"Eu gosto de trabalhar bastante essa questão do clichê e de ilustração dos anos 50. E essa imagem meio que lembra propaganda, só que eu a coloco em outro contexto. O sentido dela muda, dá uma ironia", sugere.



Com exposições na Espanha, Inglaterra e França em seu currículo, Daniel Melim tem sua produção caracterizada pela escolha dos locais, buscando espaços deteriorados que fornecem inúmeros elementos compositivos (cor, textura, posição). Boa parte desses trabalhos estão localizados em bairros afastados do ABC Paulista (subúrbio de São Paulo) – como o Projeto Jardim Limpão - atingindo um público que normalmente tem pouco acesso à arte.



Curti pacas!

Um comentário:

  1. Não conhecia o trabalho dele, mas já tinha visto o painel. Mto bom! =)

    ResponderExcluir