28 de out de 2010

Por um mundo com pais e educadores menos paranóicos

Muito se fala dos perigos que as crianças correm na Internet, porém são raros aqueles que abordam as novas possibilidades de aprendizado e mesmo de inspiração que elas podem desfrutar no universo online. Não são poucas, contudo, as iniciativas nessa área e algumas, diga-se de passagem, supreendem em suas concepções. Relaciono abaixo alguns projetos que valem a pena ser conhecidos:


Começamos com o Smories, um projeto criado pelo casal Lisa Swerling e Ralph Laza, que traz dezenas de histórias contadas em vídeo pelas próprias crianças e para crianças. Eles prometem 50 novas histórias todo mês.


Outra boa ideia é a do Bzzzpeek, um site que oferece uma coleção de onomatopéias, que representam os sons emitidos por centenas de animais e meios de transporte. Os sons são criados por crianças de países diferentes e nos permitem, portanto, verificar como estes mudam de acordo com a cultura e nacionalidade.


O ZooBurst, por sua vez, alia a criação de livros infantis com a tecnologia tridimensional disponível atualmente. Usando a  ferramenta, contadores de histórias, de qualquer idade, podem criar seus próprios mundos ricos em histórias que podem ganhar vida. Os livros são completamente baseados na web e podem ser visualizados a partir de qualquer ângulo por meio do Adobe Flash plugin.

O autor do livro pode optar por tornar os personagens e/ou objetos "clicáveis", permitindo que se aprenda mais sobre características individuais dentro da história. Há ainda a opção de realidade aumentada, sendo necessária apenas uma webcam instalada no computador. Confira a demo:



Vale, por fim, destacar o projeto Hole in the wall, que o cientista indiano Sugata Mitra vem conduzindo já há algum tempo. Consiste, basicamente, de um computador com internet, enfiado em uma parede em locais onde não existem escolas ou professores qualificados. Vale assistir a explicação do próprio Sugata sobre como o projeto funcionaria na prática em uma edição recente do TED:

Um comentário:

  1. Interessante, tbém tento extrair só o lado bom da internet para a minha baby-teen de 12 anos, não é facil, mas é importante. Parabéns.

    ResponderExcluir