13 de jul de 2009

Ouça a música dos negócios

A agenda do pianista e regente francês Dominic Alldis é lotada com apresentações para executivos da Unilever, General Electric, Pfizer, WPP, LVMH, Barclays, Oracle e Siemens. O intuito da platéia, contudo, não é apreciar Mozart ou Beethoven. Bem vindo a um novo filão do mundo empresarial: o da música.

Em workshops, Alldis traça paralelos entre as organizações e orquestras, trios de jazz e até mesmo quartetos de cordas.


As orquestras representam melhor o desafio dos gestores que, como maestros, tem que transformar performances comuns em desempenhos extraordinários; já os trios de jazz representam o desafio de conseguir se desenvolver em um ambiente turbulento; e, finalmente, os quartetos de cordas exemplificam o papel da sinergia e da colaboração.

A proposta de treinar organizações através da música também faz parte do Sinfonia Empresarial, um projeto da Orquestra Filarmônica Nacional, idealizado e coordenado pelo maestro Walter Lourenção. Marketing e compassos de jazz, vendas e o Bolero de Ravel, recursos humanos e operetas de Strauss - é através da experiência musical que o público atenta a questões fundamentais no cotidiano corporativo.


As apresentações da Sinfonia Empresarial são interativas. Em determinado momento do espetáculo, o maestro, inesperadamente, escolhe alguém da platéia para subir ao palco. Esta pessoa tem, então, uma grande e emocionante surpresa: estará à frente dos 60 músicos da Orquestra e deverá regê-los em "New York, New York", de Frank Sinatra!

Nenhum comentário:

Postar um comentário