13 de jun de 2013

Um teste rápido para o seu grau de confiança na mídia impressa


Foto clássica de Faye Dunaway na manhã seguinte à conquista do Oscar de melhor atriz  pela atuação no filme Rede de Intrigas, rodado em 1976 e dirigido por Sidney Lumet.

Obviamente, ela está cercada por todos os jornais daquela manhã anunciando sua conquista.

Agora, dê um fast forward para 2015 e imagine o mesmo quadro.


Você vislumbra algum impresso?

2 comentários:

  1. Não entendi o ponto em questão amigo. A mídia impressa só corre risco de desaparecer por causa das novas tecnologias. Mas sim, em 2015, 2030, 2050, no dia após a premiação da Academy, todos os folhetins, seja qual for a forma, vão estar publicando o resultado e os Winners da noite.

    Se não for esse seu ponto de vista, me corrija.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela não vai desaparecer nunca. O ponto é que, como estamos vendo agora nas manifestações, elas impactam menos do que suas versões digitais e/ou formadores de opinião nas redes sociais. Ou seja, sim, os folhetins vão continuar publicando o resultado da Academia, mas todo mundo já vai ter visto e os contemplados, como a Faye aí da foto, vão se exibir com as postagens do seu iPhone na própria noite da cerimônia...

      Excluir