2 de mai de 2013

Clive Wearing esqueceu de tudo, menos da música

Quando o maestro britânico Clive Wearing contraiu uma infecção no cérebro em 1985 – uma encefalite por herpes – ficou com uma capacidade de recordar apenas os eventos ocorridos 10 segundos antes. A infecção danificou uma parte do seu cérebro conhecida como lobo temporal médio. Embora apresentasse um dos casos mais graves de amnésia conhecido pelos cientistas, sua habilidade musical permaneceu intacta.


Neurocientistas dizem que a memória musical fica armazenada num local diferente do lobo temporal médio do cérebro, afetado pela doença e, de fato, fundamental para eventos que exigem lembranças do tipo ‘como’, ‘quando’, ‘onde’, mas, aparentemente, menos importante para lembranças de melodias, harmonias e ritmos.

A esposa de Clive, Deborah, é autora de um livro, Forever Today, que relata como a vida do casal mudou desde a amnésia do marido. "Mesmo tendo um piano no quarto há 26 anos, ele não sabe disso até que o instrumento seja mostrado para ele", contou Deborah à BBC.


Entretanto, diz, "se você der para ele uma música nova, a visão dele percebe a partitura e ele toca a música no piano, mas sem aprendê-la". "Clive não sabe que tocava piano, nem que ainda sabe como tocar."

A esposa diz que, mesmo sem saber, o ex-maestro melhora sua apresentação cada vez que toca uma determinada música, e que ele ainda é capaz de tocar, instintivamente, canções que sabia de cor no passado.
"Ele aprendeu Messias de Handel quando era criança e ainda sabe cantá-la."

Deborah diz que a música "é o único lugar onde podemos estar juntos, porque enquanto a música está tocando ele é completamente si mesmo".

"Quando a música para, ele volta a cair do abismo. Não sabe nada sobre sua vida. Não sabe nada do que aconteceu com ele em toda sua vida."

Vale muito assistir o documentário que a BBC fez sobre o caso (abaixo a versão editada liberada no YouTube):



(Dica do Tiago Maranhão)

Nenhum comentário:

Postar um comentário