4 de out de 2010

Arte ou apologia ao crime?



Desafetos. Você tem alguns? O recifense Gil Vicente, pelo jeito, tem muitos. Tanto que decidiu assassinar alguns deles em sua série de ilustrações, intitulada Inimigos. Realizados entre 2005 e 2006, os desenhos foram feitos em carvão sobre papel e mostram o próprio artista empunhando armas contra diversas personalidades políticas e religiosas, como George Bush, o Papa Bento XVI, Ariel Sharon e Lula.



As obras, expostas na 29ª Bienal de São Paulo, causaram polêmica e garantiram ao artista novos… inimigos. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) foi um deles. Em pedido para que as criações fossem retiradas da mostra, o órgão afirmou que elas fazem uma “apologia ao crime” e não deviam ser expostas ao público.


 

O pedido, no entanto, não foi aceito pelos organizadores da Bienal, que em nota à imprensa, chegaram a declarar que “um valor fundamental da instituição é a independência curatorial e a liberdade de expressão”.
 

E você, o que acha?








(via Zupi)

3 comentários:

  1. As obras extrapolam o limite mesmo, são muito violentas. Só quem já esteve na mira de uma arma sabe o quanto a sensação é terrível.
    Mas ainda assim, acho que não posso negar que gostei de ver o Bush nesta situação.

    ResponderExcluir
  2. Pô, esse cara é um gênio.
    O cara matou sem matar, entende?
    A partir de agora essas pessoas são mortos vivos. Ele apontou o revólver e nós puxamos o gatilho.

    Lindo!

    Eugênio Martins Jr

    ResponderExcluir
  3. Fantásticas essas obras do Gil Vicente!
    E a OAB mais um vez vem provar a hipocrisia da sua classe, bando de criminosos, isso sim!

    ResponderExcluir