17 de out de 2009

O lado humano da Rede

Jonathan Harris é um artista dos meios digitais, meio arquiteto de informação, meio designer, responsável por diversos projetos interativos sensacionais, sempre extraindo da web sentimentos e sensações.

Harris usa tecnologia (ferramentas de busca, APIs, etc…) para transformar dados em geniais projetos interativos, aplicando visual à informação.


10x10 foi provavelmente o seu primeiro grande sucesso, tendo sido referenciado em um grande número de blogs. A beleza de 10x10 está na sua simplicidade: gera automaticamente um mosaico de palavras e imagens - 100 ‘frames’ que capturam as palavras mais repetidas em um grande número de fontes de informação como a BBC e o New York Times. O resultado é um retrato informativo definindo um momento particular no tempo.



Wordcount, por sua vez, é uma apresentação interativa das 86.800 palavras mais usadas na língua inglesa. Cada palavra é apresentada lado a lado e está escalada de maneira a representar a sua frequência. A interface é clara, básica e intuitiva. O objetivo é que o usuário se sinta imerso na linguagem passando pelas palavras como um arqueólogo por areia, esperando encontrar o inesperado.



We Feel Fine analisa automaticamente um grande número de blogs para registar os sentimentos expressos pelos seus autores. Sempre que alguém escreve frases como “I feel” ou “I'm feeling”, o sistema grava essa frase e processa o sentimento que foi expresso (triste, feliz ou deprimido) em uma variedade de fatores estatísticos. Sua interface gráfica permite ver o modo como o mundo se sente em um determinado momento, processando a sua informação em um conjunto incrível de correlações complexas envolvendo localização geográfica, sexo, idade, clima e muito mais.



Universe é uma evolução de todos esses conceitos e temas. Funciona como uma grande construção dos eventos da atualidade, transformados em constelações de palavras. Permite pesquisar um evento particular (uma pessoa ou conceito) e penetrar nas profundezas das suas ligações infinitas. A sua grandeza está não apenas no que permite encontrar, mas no modo como revela as suas descobertas. Constelações de conhecimento expandem e interligam-se com outras constelações, numa viagem pelo universo da expressão humana.


Finalmente, Phylotaxis tem como proposta mesclar informações científicas e culturais (ainda como se fossem coisas distintas), destacando exatamente a zona de fronteira. Resulta numa fascinante e provocativa experiência, lembrando que Phyllos significa folhas (de plantas, de livros) e Taxis, ordem.

Assista abaixo uma palestra de Harris no TED em julho do ano passado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário