20 de ago de 2009

Pelos poderes de Alá


O primeiro desenho animado de super-heróis muçulmanos, batizado de 99 por cada um de seus heróis possuir um dos 99 atributos de Alá, tem no elenco de personagens uma mulher vestida com a burca, Batina a Escondida, e um homem saudita estilo Hulk, Jabbar o Poderoso.

Inicialmente produzida no formato de HQ, 99 se transformou em um sucesso retumbante do Marrocos à Indonésia. Recentemente, sua versão televisiva foi considerada pela revista Forbes uma das 20 tendências dominantes do mundo. Agora, os super-heróis do mundo árabe se preparam para invadir as telas britânicas.

Num mercado dominado até o momento por super-heróis como Batman, Homem Aranha e Super Homem, que limitam sua luta contra o crime à América e ao mundo Ocidental, o 99 foi criado com o objetivo de introduzir os valores islâmicos em crianças de todas as crenças.

A mente por trás do sucesso chama-se Naif al-Mutawa, um psicólogo do Kuwait que acreditava que os pequenos muçulmanos precisavam de um novo conjunto de super-heróis em quem se inspirar em oposição aos modelos jihadistas.

- Ocorreu-me que as histórias que eu vinha ouvindo eram de homens que cresceram acreditando que seu líder, Saddam, era um herói, um modelo a ser seguido, para um dia ser torturado por ele - disse ele ao The Times - Decidi que o mundo árabe precisava de modelos melhores.

Ele espera que sua criação consiga um apelo universal. - É baseado em atributos como a generosidade e a misericórdia. E isso não são coisas sobre as quais o Islã tem um monopólio.

Apesar de o desenho ter sido batizado de 99, nunca haverá, no entanto, um elenco com 99 super-heróis, por ser proibido representar todos os 99 atributos de Alá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário