19 de mai de 2009



Videogames podem ser a saída para problemas relacionados à baixa autoestima. Para Mark Baldwin, psicólogo da universidade canadense McGill, joguinhos eletrônicos podem resolver de forma lúdica sintomas como apatia, queda de produtividade e até mesmo comportamentos agressivos.
Com base em estudos neurológicos, ele criou o EyeSpy, jogo que parte do pressuposto de que pessoas com baixa autoestima prestam mais atenção em feedbacks ruins - aquela história do meio copo cheio e do meio copo vazio.


O jogo é bem simples: o jogador tem que clicar na foto da pessoa que está sorrindo entre uma dezena de imagens de pessoas carrancudas para poder passar para a próxima fase. O nível de dificuldade aumenta a medida que os sorrisos passam a não ficar tão evidentes, mas basta olhar com calma para descobrir uma cara mais simpática para clicar.
Segundo Baldwin, depois de jogarem, as pessoas tendem a continuar agindo como se ainda estivessem jogando, ou seja, o cérebro pode ser condicionado a diminuir os sentimentos negativos.


Outro jogo desenvolvido por Baldwin é o Grow your Chi. Nele, o jogador é convidado a clicar em nuvens que passam na tela do computador toda vez aque elas carregam seu nome. Cada clique certeiro abre uma foto de uma pessoa sorrindo e acumula pontos. A intenção é gerar uma relação direta entre o nome e uma sensação positiva.

Para testar e se divertir um pouco, clique aqui
(Referência Época Négócios)

Nenhum comentário:

Postar um comentário