27 de abr de 2009

Ataque Libriano

por Fernando Targa

TOP 5 - Elvis Costello

O dia de hoje foi uma típica segunda-feira. Fim da tarde, estava sozinho em casa, totalmente livre de qualquer obrigação entediante. Então, pensei comigo: o melhor a fazer é pegar o controle e zapear a TV antes de mergulhar na internet novamente. Foi então que, naquele momento, tudo mudou.

Tinha ouvido falar há pouco tempo atrás que Elvis Costello tinha direcionado a carreira para outra área, para mostrar seu lado Jay Leno / David Letterman de ser. Fiquei curioso, mas não dei a devida importância para o assunto. Eis que hoje, de canal em canal, achei algo muito interessante. Acabei dando graças ao acaso por ter tomado as rédeas da situação.

Imaginem a minha surpresa quando sintonizei o canal 84 !? Estava passando o tão comentado “Spetacle”, talk show com apresentação do cantor e compositor britânico de nome genial. Minha felicidade foi tanta quando me deparei com o simpático inglês conversando em um simples cenário com, ninguém mais ninguém menos, do que Lou Reed, um dos mais fantásticos compositores dos últimos 40 anos...

O programa lembra um pouco o “Actors Studio”, mas sem a morosidade do talk show cinematográfico comandado pelo diretor James Lipton. Durante a descontraída entrevista, o próprio Costello dá uma canja com seu convidado, que parece ter total liberdade para escolher o que quer tocar. A versão que passa na HBO brasileira é sem intervalos, com interrupções curtas, apenas para passar a vinheta do programa. Perfeito!

Tão genial quanto “Later...with Jools Holland”, o novo “Som Brasil”, o cultuado “Sound” ou o lendário programa “Ensaio”. Confesso que, em nenhum momento da minha vida, Elvis Costello chegou a fazer alguma diferença. Minha formação musical passou longe desse artista especificamente, ele tinha um estilo pouco atraente para meus olhos e ouvidos roqueiros. Na verdade, passei mais de duas décadas praticamente ignorando sua presença. Descobri esse outro Elvis assistindo clipes na MTV.

Mas hoje, tudo mudou de verdade. Minha vontade é terminar esse texto o mais rápido possível para descobrir mais sobre esse ótimo músico, de grande versatilidade e importância maior ainda para a música pop desde o final dos anos 70. Nunca é tarde para recuperar o “músico” perdido. Depois de uma pequena pesquisa, já sei por onde vou começar. Aqui estão meus 5 próximos momentos que viverei com Elvis Costello:

I) Baixar no Torrent os álbuns “My Aim is True” de 1977, “Emotional Fascism” de 1979 e “Spike” de 1989. O primeiro é o trabalho de estréia de Costello, que traz a famosa balada “Alison”; o segundo é o grande sucesso comercial de sua carreira e o terceiro é obra prima pop, obrigatório para quem quer entender como esse londrino virou estrela mundial.


II) Ir atrás do disco de estréia do grupo inglês “The Specials”. A banda de ska lançou seu homônimo álbum em 1979, com produção do próprio. O grupo é considerado até hoje um dos ícones do ska, mistura do reggae com o punk rock e esse trabalho é o melhor da carreira.


III) Compilar em um único CD todas as músicas que Elvis Costello compôs com sir Paul McCartney, parceria que durou muitos anos entre o fim dos anos 80 e os primeiros anos da década de 90. Entre elas, estão “Veronica”, My brave face”, “Back on my feet” e “The lovers that never were”.


IV) Buscar na internet trechos de apresentações dele com suas duas maiores colaboradoras: a esposa Diana Krall e a amiga Alice Krauss. Com Diana, a parceria já dura 6 anos e com Krauss, vale assistir os dois tocando juntos “Scarlet Tide”, música do filme "Cold Mountain".


V) Abrir o Youtube e ver a dupla tocando “Set the twilight reeling” e “Perfect Day”. Entre uma pergunta e outra, Lou Reed fala sobre a carreira, conta histórias curiosas e interage com a platéia enquanto conversa informalmente com Elvis.

Façam o mesmo, descubram Elvis Costello. Eu garanto: vai valer a pena.

Um comentário:

  1. Boa, Mr. Targa. Top Five é mesmo a sua cara.
    Bora baixar Elvis Costello!
    Vlw pela dica. Abs!

    ResponderExcluir