27 de fev de 2009

Ataque Libriano
por Fernando Targa

TOP 5 – SHOWS “IMPERDÍVEIS”

Daqui a exatos 23 dias vou encarar milhares de pessoas amontoadas, empurra-empurra, cerveja quente e uma possível “garoa paulistana”. Tudo isso para fazer parte de algo histórico: o primeiro show do Radiohead no Brasil. Meus amigos, sou daqueles caras fanáticos por shows. Não vejo a hora de ir até a Chácara do Jockey e viajar ao som de uma das minhas favoritas. Será inesquecível ver os britânicos tocarem muitas daquelas pérolas que melhoram meu humor durante os instantes em que meu iPod me faz esquecer o caos da rotina diária. Quem é louco por música sabe bem do que estou falando. Já fiz muitos absurdos para ver e ouvir mais de perto as performances que me fazem embarcar em transe profundo.

Só que nem sempre fui feliz nas minhas empreitadas. Lembro de, no alto dos meus 11 anos, ter implorado para meus pais me darem dinheiro para comprar um ingresso do show do Iron Maiden na Cidade do Rock em 1985, um dos grandes do primeiro Rock in Rio. Estávamos em janeiro, época de férias escolares, e me achei no direito de pedir esse “presente” só porque tinha passado de ano sem nenhuma recuperação.

Sempre quando me lembro de um show que não estava presente, me dá uma sensação de inesgotável arrependimento. Segue então meu TOP 5 de shows imperdíveis que não vi. E o pior é que não vou ter segunda chance em alguns desses e de tantos outros casos...


Foo Fighters (Rock in Rio – 2001)
Assistir a um show pela TV é o fim! Desculpem-me quem curte ligar na Globo para ver uma patética cobertura ao vivo. Isso foi o que aconteceu comigo, eles no Maracanã e eu em casa, pensando: Por quê, por quê?! Pior: era aniversário do Dave Grohl... Quer mais histórico do que isso?


Pixies (Pedreira Paulo Leminski – 2004)
Fiquei sabendo desse show meses antes e nem acreditava. Uma banda como o Pixies, nem tão popular assim como as “brasileiras” Deep Purple e Whitesnake, incluindo Curitiba na histórica turnê após 12 anos de separação? Uma das mais importantes bandas de rock dos anos 90 no Brasil? Pois é, vacilei e não me antecipei aos 9 mil felizardos para comprar um dos ingressos...


Ramones (Palace – 1987)
Ok, esse não foi tão perdido assim. Afinal de contas eu tinha apenas 13 anos, era uma banda punk, idolatrada por skatistas baderneiros e todo tipo de maluco que não eram em nada parecidos com meus amigos... “Cala a boca, otário!!” (digo a mim mesmo): “O Palace era do lado de casa, o preço do ingresso era uma mixaria (comparado com os de hoje em dia) e eu tinha perdido o Rock in Rio dois anos antes. Imperdoável!!

Rush (Morumbi – 2002)
Perder esse foi absurdo mesmo, minha irmã e muitos dos meus amigos e conhecidos foram. Dava pra ter alugado uma van, guardado um bom lugar em uma roda imensa no meio da pista, ter jogado conversa fora com todo mundo e curtido quase duas horas de perfeita exibição de grandes músicos em grande fase...


Strokes (TIM Festival – 2005)
De todos, esse é o que mais me dói. Estava no ano mais difícil da minha vida e tinha feito uma promessa: iria até o Rio de Janeiro sozinho, mesmo sabendo que estaria na pior fase do meu tratamento. No final, não pude cumprir porque não estava em condições físicas de encarar a maratona. Tive que me contentar (de novo) com a transmissão ao vivo. Assisti pelo Multishow, bem no dia do meu aniversário... Triste, muito triste!!

MORAL DA HISTÓRIA: Vou no Radiohead sim, e nada me impedirá!!
Se alguém precisar de companhia...

Nenhum comentário:

Postar um comentário